Os dias se vão tornando mais longos e é isso, o fotoperíodo, o sinal mais importante das formidáveis mudanças que se aproximam na Natureza. Aparecem as primeiras amêndoas florescidas no Vale do Guadiana, os diferentes narcisos nas Solanas das serras das Villuercas, Malcata ou San Mamede, e pouco a pouco as árvores de folha caduca começam-se a vestir. Acontece o mesmo com as aves. Os grous começam a se elevar em grandes grupos buscando as correntes térmicas que facilitem sua longa viagem, e em poucos dias nos abandonarão com a promessa de voltar, começa o passo dos grandes bandos de limícolas, que atravessam o Território Eurobird rumo ao norte, ou se tornam mais escassos os milhafres reais que tão abundantes foram durante o longo inverno. É preciso apressar-se para chegar aos territórios de criação e ocupar os melhores lugares para se reproduzir. Enquanto uns vão outros chegam. Os primeiros são geralmente as andorinhas dos beirais, seguidos de andorinhas das chaminés, mais tarde os peneireiros das torres, aos quais se seguirão as águias calçadas, as cobreiras, as cegonhas pretas e, mais tarde, chegarão os bútios vespeiros e as ógeas. Agora toca arrumar o ninho, desdobrar as melhores roupas e começar os cortejos, há visuais como a “roda” da abetarda ou os tremendos picados aéreos das águias de asa redonda, os falcões peregrinos… ou sonoros como os dos melros, tordos, rouxinóis ou os papa-figos. A primavera está nos esperando com suos melhores cores, o que esperamos para à desfrutar?