O gelo e a geada já fazem parte da paisagem das frias manhãs invernais, embora, à medida que avança o dia o sol vai fazendo com que as temperaturas sejam mais agradáveis. No entanto, não contávamos com ela … a Borrasca Filomena. Este temporal foi o mais frio que conhecemos nas últimas décadas, atingindo temperaturas inferiores a 15 graus negativos no território Eurobird, durante várias noites. Este episódio de frio que acontece aqui é muito mais acusado nos territórios limítrofes do norte, e foi o que forçou a chegada de inumeráveis indivíduos de outras espécies mais nortenhas e pouco habituais aqui. A lista de espécies é mais extensa, mas poderia destacar-se ao falcão peregrino nortenho (Falco peregrinus calidus), ao trepadeira dos muros (Trichodroma muraria) o constatar como o número de tordo zornal (Turdus pilaris) que freqüentam zimbros e majuelos nunca foi tão alto, enquanto os tentilhões montês (Fringilla montifringilla) irrompem em numerosos bandos junto aos seus primos comuns, inclusive se observou um mobelha grande (Gavia immer) na movimentada barragem de Proserpina. Outros anos com as ciclogênese ativas chegaram a nossas terras diferentes raridades americanas como o perna amarela pequeno (Tringa flavipes) ou o tarambola americana (Pluvialis dominica), assim que bem-vindos os frios se nos obsequiam com esta interessante companhia.